10 de dezembro de 2008

9. Apreciação Crítica da Teoria Estruturalista

· O Estruturalismo trouxe para a teoria administrativa uma considerável contribuição, a saber:
ü Convergência de várias abordagens diferentes – A partir da Teoria Clássica, da Teoria das Relações Humanas e da Teoria da Burocracia, o Estruturalismo busca integrar os seus conceitos e processos através da abordagem múltipla na análise das organizações.

ü Ampliação da abordagem – Mudança do foco de atenção voltado para o indivíduo (Teoria Clássica) e para o grupo (Teoria das Relações Humanas) para a estrutura da organização como um todo, tendo uma visão mais ampla do contexto organizacional.

ü Dupla tendência teórica – ênfase na estrutura e nos aspectos interativos da organização como um todo e os aspectos de conflito e divisão da organização (conflito de poder dos sistemas sociais).

ü Análise organizacional mais ampla – O estudo e a análise das organizações são abrangentes e a sua aplicação é voltada para todos os tipos de organizações, fazendo uma análise organizacional (macronível) tanto no nível da sociedade como no nível intergrupal ou interpessoal (micronível).

ü Inadequação das tipologias organizacionais – As divisões de “sentido comum” entre organizações lucrativas e não-lucrativas ou governamentais e não-governamentais trazem mais confusão do que clareza, sem discriminar as organizações nem as dividir com base em um único aspecto significativo.

ü Teoria da crise – Os autores estruturalistas são críticos e revisionistas, procurando localizar nas organizações o núcleo de suas problemáticas.

ü Teoria da transição e da mudança – Sua abordagem “parece estar em um estado de crescimento acelerado, faltando ainda uma exata definição dos componentes e relações que a Teoria de Sistemas definiu posteriormente”.

Nenhum comentário: