sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Nossa Família Silva

Tô afim de dormir

Natureza

No horizonte o sol se levanta no horizonte o sol se põe

Vejo garças e pássaros voando pelo céu.

O ritmo da natureza me lembra a música e a música me lembra a poesia.

Poesia que aparece, poesia que brota da cabeça do poeta.

O poeta que é gente, que é homem crescido.

O poeta que é humano, que faz parte da natureza.

O sol se põe e o ciclo se renova.

Dia após dia desfrutamos da vida e a vida, é Deus.

Cecília Meireles
O Menino Azul
O menino quer um burrinho
para passear.
Um burrinho manso,
que não corra nem pule,
mas que saiba conversar.
O menino quer um burrinho
que saiba dizer
o nome dos rios,
das montanhas, das flores,
— de tudo o que aparecer.
O menino quer um burrinho
que saiba inventar histórias bonitas
com pessoas e bichos
e com barquinhos no mar.
E os dois sairão pelo mundo
que é como um jardim
apenas mais largo
e talvez mais comprido
e que não tenha fim.
(Quem souber de um burrinho desses,
pode escrever
para a Ruas das Casas,
Número das Portas,
ao Menino Azul que não sabe ler.)



Usina de Sonhos

Em um mundo com pouca harmonia
Que tal um pouco de alegria?
Eis, que aconteceu um milagre,
transformando os versos de um trovador em um sonho de amor.
Sonhar é viver, deixando a fantasia acontecer.
O importante é fazer de cada minuto uma vitória,
uma glória, um sentimento,
que se conquista a todo momento.
É ficar feliz com tudo e a qualquer hora,
até com a chuva que cai lá fora quando o sol já foi embora.
Encantamento é esperar o ano todo pelo Natal Ou,
quem sabe, formar um lindo coral
O que importa é não deixar o sonho morrer
Isso só faria você sofrer.
Mas se não conseguir aprender a sonhar,
mesmo depois de tanto tentar Não fique triste,
que a gente te ensina Aqui, na nossa Usina.

Caras e bocas de Santiago Gato lindo cheiroso, fofo da titia....

Nenhum comentário: