sexta-feira, 19 de novembro de 2010

PALMARES... ZUMBI


Sempre negro,
filho do preconceito, sim!
Mas exijo respeito enfim.
Quero dignidade,
que meus filhos se orgulhem de mim.
Nas lembranças,
misturam-se dor e esperança,
fé na crença
sem grilhões e correntes,
e o povo negro que dança.
Liberdade pro negro enfim;
Poesia; Palmares... Zumbi.
O negro sonhou.
O negro lutou.
Liberdade... Liberdade.
Mas que homem é este?
Que diz que o negro é tão diferente.
Que diz, este negro não pode ser gente.
Por que minha cor, te ofende assim?
Sou negro sim!
Tenho orgulho sim!
Sou o grito forte de liberdade,
sou Palmares.
Sou Zumbi.

Nenhum comentário: