sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Falo da fantasia que alimenta o coração

Camuflada nos tópicos da minha realidade
Falo das tormentas que entremeiam a emoção
E da placidez vagando a minha verdade
E é na multidão densa da minha solidão
Que deixo o verso expor a nudez do coração

Nenhum comentário: