terça-feira, 15 de janeiro de 2008

TUDO NA VIDA É MISTÉRIO.

Teve cheiro de vida, teve cheiro de paixão.
Teve cheiro de flor do campo, de sublime prazer.
Teve cheiro de água pura, de mato, de patixolim;
Cheiro de mata molhada, de folha seca, teve cheiro de tesão; (patho).
Foi assim que nossos corpos se encontraram, envolvidos, inebriados e abastecidos de energia, de prazer, de evolução;
Evolução da dança, do sagrado, do cio da terra;
Foi assim, nossa áurea brilhante, como a luz do desejo;
Sentir a alma vibrando, perceber o giro da energia a iluminar Gaia com o reflexo mais belo nas águas claras e transparentes.
Momento mágico, único e puro,
Teve sabor de todas as frutas exóticas da Amazônia, do jenipapo, do açaí, do tamarindo, do taperebá e do mucajá.
Teve ritmo, do Sairé, do carimbó, do ciriá, do boi bumba, e do marambiré.
Teve beleza do encontro das águas barrentas e volumosas do Amazonas com a clareza e transparência do azul do Tapajós, junta da magia e encantamento dos igarapés;
Teve a força da tempestade do verão, da pororoca, das correntezas dos rios amazônidas;
Teve a magia da dança da mata em noites de chuvas calmas e céu escura, a magia do por do sol em tardes ensolaradas a beira das praias desertas do Arapiuns,
Teve a sedução dos botos tucuxi e uiara na dança do acasalamento,
Conquistando sua fêmea na demonstração da singeleza e da beleza do macho experiente.
Teve musica, como o canto do uirapuru ou do sopro do vento na mata fechada, com seus mistérios que só a terra que é mãe sabe que existi.
Assim fomos, no único, mágico e misterioso momento de encontro entre TERRA E ÁGUA, fontes de vida e de inspiração.
Isabel Cristina
Juro que consegui escrever
kkkkkkkkkkkkkkkk

Nenhum comentário: